Os mecanismos do sonho

Afinal, quais são os mecanismos do sonho? O que Freud dizia sobre os sonhos e a interpretação deles?  Neste artigo, você vai conferir uma visão psicanálitica dos sonhos e suas interpretações, bem como, como os sonhos se tornaram parte importante da teoria de Freud.

Antigamente, os sonhos eram considerados como premunição, eram revelações que traziam fatos que poderia acontecer no futuro, até mesmo na bíblia relata acontecimentos que foram considerados revelados por sonhos.

Os conteúdos destes sonhos eram vistos como circunstancias divinas ou demoníacos. Porém, hoje são vistas como conteúdo que surgem no inconsciente e que pode influencia em vários aspectos na vida de uma pessoa.

Confira agora a evolução da teoria de Freud sobre os mecanismos do sonho.

Freud e mecanismos do sonho

Quando freud começou a avaliar os sonhos, percebeu que eles podem revelar nosso verdadeiro eu, colocar à tona nossos desejos mais ocultos. Freud revela que ao interpretar os sonhos através das terapias, não vamos conseguir prever o futuro, mas sim, revelar as emoções e sentimentos que há através dos nossos sonhos.

É algo desafiador para o terapeuta o estudo e análise dos sonhos, pois algumas pessoas podem alterar seus comportamentos ao se trazer à tona informações que antes eram ocultas.

A importância dos mecanismos do sonho

Segundo Freud, o id, ego e superego compõe a personalidade, onde o id é o responsável pelos nossos instintos e impulsos mais primitivos “temos, pois, que o id é o verdadeiro inconsciente ou a parte mais profunda da psique” (CABRAL. A. NICK. E, .2006, p. 157). O ego faz a intermediação entre id e superego. E o superego, trabalha para evitar infrações relacionadas as leis morais.

Freud em 1900, em sua obra “A interpretações dos sonhos”, demonstrou a importância dos sonhos para a ciência. Nesta obra, ressaltou que é possível trazer do inconsciente os conteúdos para o consciente que poderá libertar o paciente de seus conflitos internos.

Os conteúdos do inconsciente, podem ser apresentados de várias formas, porém antes dos estudos de Freud, essas informações não eram levadas em consideração pelos cientistas daquela época.

Conteúdos manifestos e latentes

Através dos estudos levantados por Sigmund Freud, foram apresentados dois pontos importantes: os conteúdos manifestos e latentes revelados nos sonhos. Os conteúdos manifestos, é o que a pessoa conta de acordo com o que se lembra ao acordar ou nos dias seguintes, as imagens do sonho da forma que se lembra.

Já o conteúdo latente é primeira parte do processo do sonho, neste caso é composto de evidencias noturnas, pensamentos e ideias ocorridas durante o dia e nele contém as informações que trará o significado para quem fará a análise.

Para apurar o significado latente, não precisa dar total atenção ao sonho como um todo, e sim fracionando o sonho, associando cada fração apresentada pelo indivíduo. Observa-se que para cada indivíduo os elementos apresentados trarão uma revelação associada aos elementos do que sonhou. Ou seja, os elementos e associação será sempre individual.

Quais são os mecanismos do sonho?

Freud deu o nome deu o trabalho do sono aos mecanismos que são apresentados nos sonos através dos conteúdos de manifesto e latente.
Existem quatro tipos de mecanismos dos sonhos que são: condensação, deslocamento, dramatização e desdobramento.

No mecanismo de condensação, os sonhos são pequenos e é como se tivesse uma lacuna no sonho e pessoa resume o que sonhou. Neste caso, a apresentação de fragmentos dos pensamentos, sensações e desejos ocultos que podem revelar fatos que marcaram a pessoa, como por exemplo um abuso sexual.

No deslocamento, deve se observar os aspectos secundários, pois eles trazem informações importantes por exemplo: ao sonha,r o indivíduo agrediu alguém, que nunca fez nada contra ele, porém, na verdade essa raiva é de outra pessoa. Neste caso, há o deslocamento de sentimento de raiva para uma terceira pessoa.

Na dramatização, o conteúdo latente se transforma em manifesto, o que podemos chamar também de elaboração onírica, ou seja, as frações dos sonhos são transformados em cenas como em um teatro trazendo muitas informações racionais e importantes que contribuirão para o desfecho dos conflitos apresentados pelo cliente.

No simbolismo as informações que chegam do inconsciente são transpostas pelos fatos apresentados. Freud através de seus estudos criou vários símbolos que podem ser interpretados e muitos deles são símbolos sexuais. Os sonhos usam metáforas para trazer a consciência os verdadeiros acontecimentos.

Sonhos e psicanálise

Os sonhos são importantes para psicanálise, através dos relatos dos pacientes pode-se verificar quais mecanismos foram apresentados e com a utilização da associação livre é possível decifrar os sonhos.

Sabemos que não podemos compreender os sonhos em sua totalidade, pois são confusos, mas seus fragmentos possuem informações importantes para o desfecho do conflito apresentado.

Através do sonho, o analista poderá acompanhar a evolução do tratamento, pois eles revelam o que eu interior de tudo que a pessoa sente, vive, almeja, mas que por algum motivo fica oculto e não consegue externalizar, o sonho tem por objetivo revelar o que de fato a pessoa deseja.

Contudo, o que Freud nos apresentou em seu livro “A interpretação dos sonhos” nos aponta que as pessoas buscam nos sonhos realizar aquilo que na vida real ela não consegue admitir que deseja. Isso por medo de se expor e ser julgada pelos padrões morais que a sociedade as vezes nos impõe. E o papel da terapia nestes casos é trazer ao consciente os mecanismos de defesa e sua interpretação para libertar o paciente de seus conflitos internos.

Conteúdo produzido por Simone R Silva, especialmente para o blog Só Psico.

Gostou do tema? Confira nossos outros artigos sobre sonhos, Freud e psicanálise!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *