Aceitação de profissionais que cuidam da mente e comportamento humano

Se você quer saber como os profissionais que cuidam da mente e comportamento humano agem diante de suas aceitações,  esse é o artigo certo para você. Afinal, não basta apenas prezar pelo bom atendimento.

Freud (1856-1939), conhecido também como pai da psicanálise, foi quem criou o método terapêutico, baseado no estudo da Hermenêutica, utilizado em casos de neurose e psicose entre o século XIX e XX.

Dedicou anos de sua vida a psicanálise, formulando diversas teorias a partir de suas vivências, do comportamento humano, das práticas com pacientes, mas também a partir de teorias criadas por colegas de profissão. Ele se dedicava incansavelmente a descobertas da Psicanálise, demonstrando ainda ser muito dedicado aos seus pacientes.

A aceitação de Freud

É visível que desde o início a sociedade foi bem relutante em aceitar seus conceitos e abordagens, pois muitas vezes, se tratava de assuntos constrangedores em se discutir –inconsciente, traumas, sexualidade -, e em alguns momentos ele mesmo se demonstrou insatisfeito com o decorrer de seu trabalho, mas nada o levava a desistência, pelo contrário, cada paciente despertava-o prazer de ir mais além.

Freud teve a oportunidade de estar ao lado de Breuer, médico e fisiologista, que fez contribuições importantes sobre a gênese psíquica. Além de se tornarem grandes amigos e companheiros de profissão, pai de Freud quando morreu deu a importante tarefa para Breuer cuidar de Freud e de seu futuro.

Breuer e Freud em trabalho conjunto

Josef Breuer foi um médico e fisiologista austríaco, cujas obras lançaram as bases da psicanálise. Ele deu oportunidade que Freud acompanhasse alguns de seus casos, e juntos fizeram grandes descobertas, mas mesmo assim discordavam muito um do outro, chegando a um ponto que Freud preferiu seguir sozinho com suas teorias.

Breuer tinha fascinação pela hipnose e tentou fazer com que Freud seguisse esse método também, mas depois de algum tempo aplicando a técnica, Freud percebeu que a Livre Associação era uma teoria mais eficaz e parou de realizar a hipnose, seguindo duas técnicas: Livre associação de ideias e interpretação dos sonhos.

Diferentemente de seu companheiro de trabalho, não se deixava envolver por seus pacientes, apenas tinha grande interesse em resolver o caso.

Para entender todo esse caminho percorrido por Freud na Psicanálise, é muito importante a ser assistido “Freud Além da Alma”, que demonstra toda sua dedicação e empenho desde o início, defendendo suas teorias até o fim.

Ele próprio se desafiava, procurando sempre novos casos para entender e compreender a mente e o comportamento do ser humano. E a partir desses tantos casos que teve acesso, teve uma trajetória repleta de experiências, podendo provar que suas teorias tinham sentido.

Freud – conhecido como o Pai da Psicanálise

É a partir de todas essas conquistas, que hoje Freud é visto como “pai da psicanálise” e foi e ainda é um dos mais renomados nomes na Psicanálise. Diante de toda dificuldade enfrentada por Freud pela aceitação de suas teorias e pela insistência própria em ter uma teoria que envolvesse todos pacientes, vemos o quanto esses profissionais que cuidam da mente e auxiliam em momentos de angustias e na interpretação de suas ações, ainda são diminuídos no Brasil.

Percebe-se que existe muita resistência da sociedade em aceitar a ajuda de profissionais como psicanalista e psicólogo, é preciso entender que esses profissionais proporcionam ao seus pacientes momentos, questionamentos e oportunidade de entender a mente humana.

Os profissionais que cuidam da mente

Esses profissionais que cuidam da mente tem uma maior sensibilidade, mas também ética para escutar depoimentos e desabafos, por isso tem como sua maior arma a escuta, que proporciona ao paciente que fale abertamente de suas angustias, sofrimentos e ansiedade ao analista, para que ele investigue a causa.

As doenças e transtornos mentais podem se tornar mais graves do que algumas doenças físicas, pois quando não tratada com profissionais pode vir a se transformar em depressão e, muitas vezes, leva ao suicídio.

Cabe ao ser humano se conscientizar que deve procurar ajuda especializada, não cabendo aqui conversas com amigos, pois esse especialista irá trilhar junto com você caminhos para a resolução até que o paciente chegue a uma conclusão.

Peça ajuda aos profissionais que cuidam da mente e corpo

Então por que ser tão relutante a algo que pode nos ajudar a viver em paz consigo mesmo e com o próximo e nos fazer descobrir o porquê de tanta tristeza, angustia e sofrimento? O porquê de não conseguir realizar e falar certas coisas? Por que temos tanta dificuldade em resolver conflitos sozinhos? Em se expressar?

São diversos questionamentos que podemos fazer, mas também diversas suposições. Vivemos em um século que mudanças acontecem constantemente, de um lado crianças crescendo com acesso à tecnologia e brinquedos de última geração, e de outro pais que tem dificuldade em educar, escolas que não conseguem ensinar porque seus alunos têm
transtornos de aprendizagem, falta de limites e de interesse, assim como uma família sem estrutura.

Pobreza, fome, desigualdade social, corrupção, vivemos em meio a tudo isso e a maioria da população não se comove em ajudar, será mesmo que não precisamos entender mais a mente e o comportamento humano?

Estamos rodeados de notícias, artigos e referências de excelência, as informações estão disponíveis sempre para que possamos investigar e pesquisar um profissional que possamos confiar.

A sociedade precisa aprender a lidar com seus sentimentos, com suas frustrações, e outros transtornos e comportamentos que se desenvolveram ao decorrer do tempo, mas também precisa dar menos importância as críticas sobre esses profissionais, e procura-los sempre que necessário, e assim como Freud seguir em frente indiferente das opiniões alheias.

Conclusão

Por fim, será uma conquista enorme tanto para esses profissionais quanto para a sociedade quando ele, que estudam e são capacitados para nos ajudar a viver melhor, forem vistos com “bons olhos” e valorizados pelo seu trabalho. Importante ressaltar que a ética e a escuta fazem parte do seu trabalho, onde nossa função é de apenas confia-lo para
juntos procurarem soluções.

Artigo escrito por: Nadine Haupt para o Portal Só Psico.

Deixe o seu comentário abaixo e aproveite para ver os nossos temas relacionados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *