A ansiedade como um mal a ser combatido

A ansiedade é um sofrimento por antecipação e faz com que vivamos no futuro. E como nós vivemos sob pressão o tempo todo, quando estamos neste tipo de situação não conseguimos pensar, acontece o famoso “branco” em nossa mente. As reações fisiológicas são intensas. Neste artigo, será abordado sobre o tema importante para a nossa realidade. Veja a seguir!

O combate à ansiedade

É um problema que parece estar presente em nosso dia a dia em qualquer situação que nos apresenta e muitas são as oportunidades de verificarmos a sua manifestação nos comportamentos de um indivíduo. Em seu significado etimológico, ansiedade e quer dizer desejar ou preocupar-se. Isso significa que uma simples preocupação já é
caracterizada como ansiedade.

Sabemos que a vida tem seu fluxo natural e observando a natureza, por exemplo, notamos que, quando plantamos uma semente, temos que aguardar o tempo necessário para poder crescer e dar os frutos para poderem ser consumidos; uma mulher em estado grave, precisa aguardar todas as fases de formação do feto para que chegue ao parto normal; os estágios antes da atuação profissional para um melhor aperfeiçoamento e aprimoramento prático do que foi estudado é mais um exemplo de maturação.

Portanto, se observarmos a manifestação natural das coisas notamos que tudo tem seu tempo e ter ansiedade nesse sentido não traz vantagem ou qualquer benefício, pois não altera nem antecipa o fluxo natural das coisas.

Como lidar com a ansiedade nos dias atuais?

Muitos acreditam que a ansiedade já faz parte do cotidiano das pessoas, pois as pessoas vivenciam a todo tempo na sociedade atribulações e preocupações que acreditam ser “normal”, por isso demoram a buscar ajuda ou soluções, apenas buscam ajuda quando experimentam sintomas físicos e emocionais já em estágio crítico ou elevado.

O ideal é que se busque ajuda nos primeiros sintomas, para que a causa possa ser esclarecida e resolvida. A pessoa ansiosa pode ser notada também em situações de iminente perigo, seja ele real ou imaginário que reflete em alguma disfunção no organismo do indivíduo.

Portanto, qualquer que seja a causa da ansiedade, o resultado é muito desconforto físico e emocional até porque a ansiedade já é considerada um risco à saúde física e mental.

Comportamento de alguém com ansiedade

Notamos que quando um indivíduo está ansioso ou com medo, seus comportamentos tendem a ser inconscientes, pois a ansiedade turva os sentidos, paralisa e prejudica a curto ou em longo prazo o sistema saudável do organismo humano ficando propício a agir de forma imediatista ou impensada, daí a ansiedade ser vista como um mal que precisa ser combatido.

Existem estudos que comprovam que as preocupações muitas vezes é involuntária, pois pode estar relacionada à alguma irregularidade biológica, como por exemplo, um distúrbio hormonal e é muito sensato considerar isso.

A relação da ansiedade para Freud

Porém, a ansiedade também pode estar relacionada com controle de uma opinião individual, ou com um comportamento reprovável pela sociedade que o sujeito realizou, causando culpa e ansiedade. Nesse sentido, a ansiedade é vista como consequência de um ato ou comportamento do sujeito em suas relações interpessoais.

Para Freud a ansiedade era classificava em três fases: a Realística, quando o motivo recai sobre algum fato no mundo externo, por exemplo; medo ou preocupação de ser mandado embora do emprego; a moral é auto-punitiva, que decorre do medo ou culpa de fazer o que deseja e não é aceita pela sociedade; e a neurótica que não se sabe qual é o medo aparente, pois se encontra no inconsciente do indivíduo e ele não tem consciência ainda e uma vez trazida à consciência, volta a ser enquadrada na fase realística ou moral.

O mal que assola o mundo

Embora a ansiedade seja considerada um mal que assola o mundo, tem que ser tratada de forma individual, pois cada indivíduo fica ansioso por assuntos, situações, acontecimentos distintos, ou seja, uma pessoa pode manifestar ansiedade sobre um determinado assunto e outra pessoa sobre o mesmo assunto pode não manifestar.

Notamos também que a ansiedade é algo passageiro e que pode ser tratada, pois uma vez resolvida a situação que aparentemente gerava ansiedade ela deixa de existir, daí a confirmação de que não é uma sensação natural do indivíduo, mas sim, uma consequência de um ato, ou seja, pode estar relacionada às expectativas geradas sobre situações ou acontecimentos em suas relações interpessoais.

A ansiedade pode estar relacionado à eventos futuros, pois as pessoas tomam suas decisões e fazem planejamentos acreditando que terão os resultados esperados, porém podem ocorrer situações ou eventos inesperados que nem sempre podem ser previstos, por isso ter ansiedade sobre eventos futuros não traz qualquer benefício.

A presença da ansiedade na infância

Isso não significa que planejamentos devam ser desconsiderados, pois estudos estatísticos e uma decisão bem avaliada são muito úteis para uma tomada de decisão. O que deve ser considerado é que o que foi planejado pode ser interrompido por situações inesperadas não previstas.

É evidente e muito comum a ansiedade estar presente em crianças, pois problemas vividos na primeira infância e a forma com que a criança é educada não estão pautados em confiança, mas sim em uma preparação para um ambiente competitivo.

Covid-19 e a relação com a ansiedade

O próprio ensino aprendizado ao ser transferido pode conter ansiedade e medo. E por vezes isso é carregado por toda a vida adulta. Atualmente o cenário mundial com a pandemia do Covid – 19 proporcionou muita ansiedade, pois ninguém sabe ao certo quando isso será resolvido e quando poderão voltar ao trabalho para o sustento de suas famílias.

Todos estão ansiosos e com medo. Inclusive,  podem ser intensificados, pois, como se não bastasse o medo do contágio pelo vírus, muitos tiveram sua vida financeira comprometida.

Os profissionais da saúde têm alertado sobre esse problema, pois pode baixar a imunidade e ficar mais suscetível ao
contágio pelo vírus.

No Brasil o número de antidepressivo aumentou consideravelmente, muitas pessoas tem se socorrido de medicamentos para conter ou amenizar os sintomas provocados pela ansiedade.

A verdade é que muitos não veem solução e não encontram saída para seus problemas que podem ter surgido na primeira infância e não tem sequer consciência disso. Não se devem ignorar quaisquer sintomas de ansiedade.

Conclusão

Todos devem ser considerados, pois o menor sintoma com o tempo pode ser potencializado por não ter sido tratado.
O ideal é procurar um profissional habilitado que ajuda o paciente a entender as causas da ansiedade. Permanecer consciente e viver o momento presente com confiança muito contribuem para ajudar a eliminar a ansiedade.

Aceitar que o normal é sentir-se bem no presente e em harmonia consigo e com todos, pois as consequências nos
comportamentos interpessoais refletem diretamente na harmonia, saúde e bem-estar de todos.

Esse artigo sobre A ansiedade como um mal a ser combatido foi escrito por Wladimir Silva especialmente para o Portal Só Psico.

Veja também os outros posts relacionados à pandemia e não esqueça de deixar seu comentário abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *